top of page

As férias chegaram e agora? Atenção aos riscos de afogamentos.

O final do ano chegou e com ele as tão aguardadas férias e confraternizações com amigos e familiares. As famílias reunidas e os destinos preferidos delas são as praias, clubes, pousadas e chácaras à beira d’água.

São muitas comidas, bebidas, risadas e momentos que nos acompanharão por toda a vida. Mas nem sempre essas lembranças podem ser boas, pois com as festividades que quase sempre são regadas às bebidas alcoólicas, vem também acompanhada da negligência de muitas pessoas.

Segundo o Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, apesar de nos últimos três anos ter havido uma redução no número de ocorrências envolvendo pessoas que tiveram que ser resgatadas; o número ainda está longe de ser aceitável por nós, pois a cada vida que se perde ou fica com sequelas, são famílias inteiras que são afetadas.

Para ilustrar como os números ainda são elevados, somente em 2022 foram atendidas pelo Corpo de Bombeiros, no interior do Estado e região metropolitana da Capital, 728 ocorrências envolvendo o meio aquático. Já na região litorânea foram 1707 ocorrências computadas até o mês de outubro.

Nos últimos anos, as campanhas educativas feitas pela Instituição têm sido intensificadas e este é o principal ponto desta redução, mas não cabe apenas ao Corpo de Bombeiros o empenho, todos nós devemos fazer nossa parte.


Mas se aconteceu. O que fazer?


Se a pessoa foi retirada da água, veja se a vítima tem respiração e acione, através do telefone 193 (Corpo de Bombeiros) ou 192 (SAMU) o auxílio de profissionais qualificados para ajudar se identificando e informando o local exato e as condições da vítima.

Quando a pessoa não estiver respirando, inicie a manobra de reanimação, só devendo parar quando o socorro chegar.


E como fazer a manobra de reanimação?


Coloque a pessoa sobre uma superfície rígida; ajoelhe-se de forma firme ao lado do corpo; entrelace os dedos das suas mãos e posicione sobre o tórax da vítima, na região entre os mamilos. Pressione contra o tórax da pessoa, com o peso de seu corpo somente. Importante não fazer força demais, use somente o próprio peso do seu corpo! A manobra de compressão deverá ser feita entre 100 e 120 repetições por minuto. Se necessário, revezar com alguém, mas não pare até o socorro chegar.


A prevenção é sempre a melhor forma de evitar problemas!


Existem diversas formas de prevenirmos estes acontecimentos, que podem ocorrer tanto em praias à beira mar, como em córregos, rios, lagos, piscinas e até mesmo em banheiras.

A partir de agora, será exposto as principais orientações para cada um dos ambientes, conforme orientações do Corpo de Bombeiros, abaixo:



Nas praias: nunca deixe crianças sem a supervisão de um adulto; não utilize boias infláveis, estas podem furar; não fazer uso de bebidas alcoólicas ou drogas, antes de entrar nas águas.

Em piscinas: nunca deixe brinquedos no entorno das piscinas, eles ajudam a atrair crianças que podem cair; a piscina deve ser cercada totalmente, tendo um portão para acesso.

No banho: nunca deixe bebê desacompanhado durante o banho, mantenha sempre a atenção até o término. Um dado importante é que 25% dos afogamentos de crianças ocorrem por quedas em baldes, vasos sanitários, caixas de reserva de água ou outros objetos que guardem volumes de água.

Em cachoeiras e rios: não entre em locais onde haja corredeiras e caso esteja em barcos ou outros meios de transporte aquático, use sempre o colete salva-vidas. Em rios sem corredeiras, nunca deixe que a água ultrapasse a altura dos joelhos, nesses locais a profundidade pode se alterar bruscamente. Em represas, tenha atenção com a vegetação no fundo, para que seu corpo não fique enroscado.


O que fazer em caso de ver alguém se afogando?


Chame imediatamente o Corpo de Bombeiros e não tente entrar e salvar a pessoa. É muito perigoso! Tente jogar algo para que a vítima possa se agarrar e ser puxada para fora com segurança ou possa ajudá-la a boiar.



Dicas de ouro para sua segurança!

O verão é uma época do ano em que tanto os adultos, quanto as crianças buscam diversões ligadas à água, portanto seguir as dicas abaixo podem fazer com que essas férias fiquem marcadas somente por boas recordações. Veja!


Para aproveitar as águas com segurança:

- Nunca confie em boias infláveis;

- Evite locais onde hajam pedras;

- Procure sempre locais sinalizados e de preferência onde haja a presença de guarda-vidas;

- Combinação álcool x água, nem pensar;

- Não faça refeições pesadas antes de entrar na água;

- Identificar as crianças com pulseiras com dados como: nome e telefone (essas pulseiras em São Paulo podem ser encontradas com os guarda-vidas);

- Lembre-se de se proteger do sol. Casos de insolação são encontrados principalmente entre as crianças.

- Respeite seus limites e evite riscos desnecessários;

- Caso você esteja nadando e não der mais pé, não entre em pânico. Nade lateralmente e busque pedir ajuda. Tente boiar, se conseguir.

- Se for mergulhar, procure conhecer o local, profundidade, se há correntes submersas, pedras, como em rios e cachoeiras;

- Evite nadar ou brincar próximo às embarcações.


Lembrando sempre o ditado: Água no umbigo, sinal de perigo!!


Fonte: Seção de Educação Pública do Corpo de Bombeiros de São Paulo.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page