top of page

As festas de final de ano estão chegando – e agora?

Por Dr. Marcio Rogério Renzo


O ano está chegando ao seu final e com ele mais um fechamento de um ciclo. Época de confraternizar, reunir amigos e familiares, comemorar as realizações e planejar novas metas para um novo ciclo. Época também, em tempos de pandemia, de fazer um balanço da vida conturbada que foi a deste ano, repensar ações e infelizmente chorar pelos que se foram.

Ah, e o mundo? Foram avanços contra a Covid-19, discussões climáticas, ataques terroristas, reviravoltas tecnológicas, conto de fadas japonês, legalização de cannabis em alguns países, enfim foram muitas mudanças e reviravoltas.

Mas e o que você está pensando para você em termos de saúde? Sabemos que as festas de final de ano vêm acompanhadas de muitos excessos e maus hábitos. São alimentos com elevados teores de gorduras, que muitas vezes, por conta da época de calor elevado, acabam sendo malconservadas. Consumo elevado de bebidas alcoólicas e, como em todos eventos noturnos, muitas horas mal dormidas.

Todas as situações acima são combustíveis para o mal-estar e complicadores para quem já possui doenças pré-existentes, como hipertensão, diabetes, descontrole dos índices de colesterol. Portanto cuidados extras são essenciais para que mantenhamos nossa saúde, se não em dia, mas que não contribua para piorar o quadro da pessoa.

Alimentação

O Ministério da Saúde disponibiliza em seu site um guia (Guia Alimentar para a População Brasileira) que traz várias dicas de como manter uma alimentação saudável, desta forma podemos ter uma ceia farta, sem comprometer nossa saúde e melhor, ainda ajudar nosso organismo. O momento da alimentação também deve ser aproveitado para reunir os amigos e familiares de forma a compartilhar este momento, evitando comprar produtos industrializados ou produzidos de forma industrializada, onde há maiores concentrações de conservantes, corantes, óleos, etc.

Hidratação

Uma das preocupações durante as épocas de festas está relacionado à hidratação. Nosso corpo é formado por 70% de água e a ingestão de água na quantidade adequada evita alguns sinais e sintomas como: sede, pela seca, cansaço, inquietude e irritabilidade, urina de cor amarela escura, boca ressecada, prisão de ventre, tonturas, dor de cabeça, odor desagradável na boca, vontade de comer doces e cãibras. As crianças e idosos são as principais vítimas da baixa hidratação, por ter a sensação de sede diminuída, portanto estejam atentos a eles.

Com relação a bebidas alcoólicas, estas contribuem e muito para os casos de desidratação e complicações, principalmente nos casos de pessoas que sofrem os efeitos do diabetes e hipertensão.

Portanto, preocupe-se com a ingestão de água na medida certa. A quantidade de água que deve ser ingerida por uma pessoa varia conforme seu peso, portanto a quantidade de água que uma criança deve ingerir não será a mesma do que a de um adulto. Para um cálculo rápido, a cada 9 kg devemos ingerir 250 ml de água (cerca de uma xícara para chá). Um exemplo: um adulto com 72 kg deverá ingerir cerca de 2 litros de água por dia.

Sono

A privação de sono durante as festividades também é recorrente e os seus sinais são rápidos. Sintomas como dor de cabeça, cansaço são sentidos pelo indivíduo logo após as primeiras horas de privação. Uma atenção especial deve ser dispensada às pessoas que possuem alguns problemas cardiológicos, principalmente, pois a falta de sono pode agravar seus sintomas, como acontece com os hipertensos, por exemplo. Desta forma, busque sempre manter um mínimo de 8 horas de sono para não perder o melhor da festa.

Depressão

Por fim, mas não menos importante, este problema que tem se tornado uma das principais causas de morte no mundo, a depressão. Neste momento de festividades devemos ter cuidado ao expor pessoas com este problema, pois as festividades, reuniões podem ser gatilhos negativos para esses pacientes.

Estamos saindo de uma situação muito adversa, como foi a pandemia da COVID-19, onde muitas famílias sofreram perdas e, desta forma, um alto índice de pessoas suscetíveis a este problema deve se apresentar em especial nesta virada de ano.

Pressão dos familiares por reuniões, eventos, fotos podem ser um verdadeiro terror para quem tem este problema. Geralmente em reuniões surgem comentários e para pessoas depressivas podem complicar o quadro. Por outro lado, trazer pessoas queridas podem ajudar, como gatilhos positivos. Uma atenção, um carinho desta pessoa podem contribuir muito para o depressivo. Escutar a opinião e permitir que essa pessoa exponha seus sentimentos é de grande valia ao tratamento e a recuperação do paciente.

Portanto esteja atento à essa pessoa, pois nesses momentos que precisamos e darão significado às festividades de final de ano. Confraternizar, reunir, proporcionar bem-estar ao próximo é o principal intuito dessas festas.

Bons momentos e felizes a todos!

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

ความคิดเห็น


Post: Blog2_Post
bottom of page